Notícias Associadas

LUZ PARA TODOS ULTRAPASSA A 250 MIL LIGAÇÕES NO PARÁ  

23/02/2010
Fonte:

Assessoria de Comunicação CELPA

Assim como no restante do país, no interior do Pará a chegada da energia elétrica é aguardada com ansiedade e já é uma realidade para mais 1 milhão de paraenses. Isso porque, ao longo de 5 anos do programa Luz para Todos, foram realizadas mais de 251 mil novas ligações, todas em áreas rurais ou ribeirinhas, as quais os paraenses costumam denominar "interior". No total, o programa chegou a 141 dos 143 municípios do estado, totalizando 3.800 localidades. No ano passado, foram 40.600 novas ligações realizadas e 136 municípios beneficiados.

Em termos de infraestrutura utilizada, esses números significam 44.500 quilômetros de linhas de alta e baixa tensão implantadas, o suficiente para quase sete viagens ida e volta de Belém para Porto Alegre (a metrópole mais distante da capital paraense), quase 430 mil postes e mais de 53 mil transformadores. Esses números fazem do Pará o segundo maior canteiro de obras do LPT e ajudam a fazer da energia elétrica o serviço mais universalizado do Brasil, mais que telefonia, água encanada ou qualquer outro serviço regulado pelo Governo. "Saindo um pouco da frieza dos números, toda essa expansão da rede de energia elétrica significa mais empregos, melhor qualidade de vida e mais desenvolvimento das comunidades atendidas", enfatiza o diretor de Planejamento e Projetos Especiais da concessionária paraense, a Celpa, Álvaro Bressan.

No segundo maior estado do Brasil, o Luz para Todos é um programa do Governo Federal, em parceria com o Governo do Pará e a Celpa, que executa as obras. Ele foi criado em 2004 para priorizar a implantação da energia elétrica em áreas rurais e faz parte do Programa Nacional de Universalização da Energia Elétrica.

No Pará, o atendimento de comunidades indígenas e quilombolas também chama atenção. De acordo com Bressan, o Luz para Todos já atendeu ou está com obras em andamento em 76 localidades quilombolas e outras 17 foram priorizadas, ou seja, terão o início das obras antecipado. Ao final de todo esse processo, serão mais 7.600 novas ligações.

Em relação às comunidades indígenas, foram concluídas obras em sete delas e duas estão em andamento. Também há a priorização de obras em outras seis comunidades. Somando tudo, a expectativa é atender a 740 domicílios indígenas.

"Para nós, é importante ressaltar a preocupação com o lado educativo. Assim como é feito nas cidades, a Celpa também leva orientações sobre como usar a energia elétrica de forma segura, racional e produtiva para as populações indígenas, um trabalho desenvolvido em parceria com a Coordenação Estadual do Programa Luz para Todos e a Fundação Nacional do Índio (Funai), para que o esforço da eletrificação nessas comunidades resulte em desenvolvimento econômico, social e cultural", complementa Bressan.

O projeto, que é executado em etapas, teve a Etapa 6 concluída e está em fase de finalização da Etapa 7. A previsão é entrar na 8ª etapa ainda no primeiro semestre do ano. Quando foi criado, estava previsto que o LPT iria atender 236 mil novos domicílios no Pará. Hoje, esse número aumentou para 349 mil.



[ topo ]