Notícias Associadas

Usina Solar do Mineirão completa 5 anos

17/05/2018
Fonte: Cemig 

Instalação fez história na Copa do Mundo Fifa 2014 e nos Jogos Olímpicos Rio 2016


A usina solar fotovoltaica do Mineirão completa 5 anos nesta quinta-feira (17/5). Construída pela Cemig em 2013, em parceria com a Minas Arena e com recursos do banco alemão KfW, a instalação é uma das maiores do mundo na cobertura de um estádio, e tem capacidade de produção suficiente para atender o consumo médio de 1.200 residências.

De acordo com Alexandre Heringer, na época coordenador de implantação do projeto pela Superintendência de Tecnologia e Alternativas Energéticas da Cemig – e hoje presidente da Efficientia, braço da Companhia na área de eficiência energética –, a usina permitiu ao Mineirão se tornar a primeira arena esportiva do Brasil dotada de painéis solares em sua cobertura, e obter a certificação LEED Platinum de sustentabilidade.

“O empreendimento ainda levou a mensagem da energia limpa para os milhões de espectadores da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos realizados no Brasil”, completou o executivo.

A cobertura do Mineirão de cerca de 9.500 m² recebeu cerca de 6.000 módulos fotovoltaicos em sua cobertura garantindo uma potência instalada de 1.420 KWp. Toda a energia gerada é enviada para a rede de distribuição da Cemig.

Na época, os investimentos na USF Mineirão foram de aproximadamente R$ 10,5 milhões, sendo que 80% desse valor foi financiado pelo banco alemão KfW, por meio de cooperação técnica Brasil-Alemanha.


Como funciona

Os módulos solares fotovoltaicos na cobertura do estádio captam a radiação solar e convertem em energia elétrica, em corrente contínua com tensão de 380 volts. Oitenta e oito inversores instalados em oito salas técnicas abaixo das arquibancadas transformam a corrente contínua em corrente alternada. A energia é enviada a duas subestações, uma no lado sul e outro no lado norte do Mineirão. Nas subestações, a tensão é elevada para média tensão. Uma pequena parte de energia gerada é usada na manutenção da própria usina e todo o restante é injetado na rede da Cemig, por meio da subestação de conexão que fica dentro do estádio.

A usina fotovoltaica no “Gigante da Pampulha”, como o Mineirão é conhecido, tem performado com sucesso nesses cinco anos, produzindo em torno de 8% acima da previsão inicial, conforme atesta Juliano Fraga, técnico de operação de usinas responsável pela UFV Mineirão.

 

O acompanhamento de sua performance e outras informações sobre a usina pode ser obtido no endereço www.cemig.com.br/ufvmineirao .



[ topo ]